sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Vamos para a Capadócia?


Grande feira esse mundo e de tudo se vende. Inclusive prisões. Grades, correntes e mordaças. Será por isso que venho sentido essa mudança em você? Teus olhos grandes estão ainda maiores porque tristes. Transbordam porque clamam. O que petrificou tanto teu movimento? É quase tudo rigidez na tua face, apenas o olhar denuncia o que acontece nos espaços ocultos do teu ser. A Medusa que te atingiu deixou escapar um ponto de fuga: a linguagem do teu olhar. Olhos de estranha ânsia. Pulsantes. Dizem que os olhos são as janelas da alma não é? Os teus andam falando muito e neles vejo portais. Entre. Saia da onda. Liberte-se da rotina e faça aflorar a poesia, que é teu reino. Um título não te cabe, meu amor, será sempre inadequado para o teu tamanho. Honras e homenagens também, se você acreditar nessas bugigangas tua vida fica um desconforto inenarrável. É tudo falso. São pedras de vidro. Quebram fácil em milhares de cacos que podem te ferir. E eu sofro tanto ao te ver seduzido pelas vaidades das sombras do poder, elas te roubam de ti e depois cospem sobras como se fôssemos lixo. Não percebes o jogo perverso? Essas tolas convenções sociais nos vêem descartáveis. Gente não é coisa. Arranque a máscara que te fizeram crer necessária. Chame a tua reserva selvagem. De vez em quando sinto frio e quero o calor do teu abraço real. Venha, me abrace e sejamos poéticos no nosso viver. Ser livre não pode ser apenas uma ameaça, um quase lá ou um talvez algum dia. Há tempos venho sonhando em conhecer as paisagens lunares da Capadócia, lugar de São Jorge, que domou o dragão. Lá tem muita pedra e a vida se infiltra pela terra como semente, mas quando levantamos o olhar sempre podemos ver balões coloridos em um lindo céu azul ao florescer de cada manhã. Teus olhos precisam dessas paisagens. Ver os balões passeando, como se zombassem, risonhos, de nossos medos: viu, bobo? É possível viver colorido! Então, vamos para a Capadócia?

5 comentários:

R.Vinicius disse...

Ana tu já percebeste como o movimento está intimo em ti? Como a tua escrita, onde a cadência movimenta o ar, o fôlego destas tuas linhas; E a visão que traga? Acaso não é a sutil forma de mover-se? E eis tudo – quando caminhas e levas parte.

Anônimo disse...

E com a leitura, fico aqui diante de muitos pensamentos soltos nesta cabeça que se misturam com muitos sentimentos desse meu teimoso coração e de tanto refletir; entendi que sem querer a gente acaba se perdendo, na tentativa de se encontrar.
E meu coração bate mais feliz pela descoberta.(eu tbm precisava ler esta formosura.)

E os olhos são mesmo as janelas da alma, pois são profundamente verdadeiros, por vezes até tentam fugir, mas "acho que é bobagem a mania de fingir,negando a intenção" porque eles são reveladores do que existe de mais intimo em nós.

Beijos e boa sorte!!!


PS:Espero que goste de Capadócia

eDu Almeida disse...

Eita Capadócia linda menina! Viu prometi e cumpri, passei aqui para viajar um pouco com vc nas palavras q só vc sabe escrever.
Bjos e sempre é bm te ver, nem q seja nas pressas.

Ana Valeska Maia disse...

Vinícius,
É isso mesmo, o sentido é o movimento. Lindas palavras traduzem tua percepção.
Anônimo,
Muitas vezes a gente se encontra quando pensa que se perdeu. Fico feliz ao receber sua visita, sempre.
Edu,
Saudade! que bom que você veio

glória disse...

Valeska. esse convite a um lugar sem fronteiras exige uma coragem para além da beira, para além do que se traça como lugar de vida. o tempo escorre pelas minhas mãos, eu faço tanger o que meu corpo pode (pede?). "Ser livre não pode ser apenas uma ameaça, um quase lá ou um talvez algum dia." è um dos seus escritos mais belos esse daqui. em estado de graça! bjs