sexta-feira, 29 de maio de 2009

O cheiro da manhã com chuva


Choveu e um cheiro de mato molhado invadiu a casa.
Joana encostou o rosto na transparência marrom do tecido finíssimo da cortina. Janela aberta no atravessar do cheiro da manhã com chuva.
A janela, ela e o tecido tecendo tessituras.
Dias de sol morando na memória, lembrança de tempos antigos, quando dormia no mar.
Recordações dos tempos das asas, livre atravessando o vento.
Presente o presente, Joana sorriu e correu.
O ar leve e o vestido esvoaçante.
Estava feliz.

imagem: Evgen Bavcar

7 comentários:

Joice Nunes disse...

"tecido tecendo tessituras", parece uma frase coberta de seda. lindo, lindo,lindo.um beijo em tu.

Anônimo disse...

(Jo)ana,
Tomo emprestado os versos de Bob Dylan - e, a partir deles, pequenas variações - para continuar este colóquio poético-amoroso:
"the answer, my friend, is blowing in the wind/ the answer, my dear, is coming with wind/the answer, my love, is the wind itself".
Saudades.
Beijo grande nesse coração imenso do azul do mar.
(Jo).

R.Vinicius disse...

Quem é feliz hoje em dia? Concordo com a Joice. Parece que tudo está coberto de seda. E é bonito. Eu gostei.

Abraço,

R.Vinicius

Alexandre Grecco disse...

Só uma foto "cega" ilustra a beleza da felicidade hoje em dia.

Belo texto/seda.

Franzé Oliveira disse...

Adoro chuva
Esperança de fertilidade no sertão
Mas hoje chove além da conta
Não sei se é bom
Mas estou feliz com a chuva
" Chove chuva"

Bjos menina linda.

genetticca disse...

A chuva troze as mesmas aguas de tudos os tempos, por esso ela troze tambem lembranças,de saude, de paz, de outros tempos tambem molhados.

As tessituras aconchegam a pele con esse placer das coisas que acomodan a nossa casa e que moran con nois...


Muitos bejos menina.

glória disse...

Joana quando abre a janela e deixar entrar o cheiro do mundo, o sal da terra, o movimento de fluxo e refluxo das marés fica feliz já notou? Joana quer viver nem que asas possam, alguma vezes derreter, nem que o vento a deixe descabelada e o vestido suba até o pescoço. Joana quer é viver, disso eu sei e subescrevo.

bjs

Glória