segunda-feira, 18 de maio de 2009

coração-jardim


Seu Belarmino é o jardineiro do jardim da minha casa. Dia desses, enquanto observava o cuidado de Belarmino com as plantas, perguntei como foi que ele se tornou um jardineiro.
Fitou-me com aquele ar de quem encontrou memória boa pra recordar.
- Filha, foi o sentimento pela Rosália.
- Como assim, seu Belarmino?
- Quando eu vi Rosália pela primeira vez, fiquei com uma inquietação tão grande apertando o peito e, sem pensar que eu mal sabia escrever, peguei papel e lápis e escrevi:
“Como é, meu Deus, que se escreve sobre o que o sentimento faz por dentro da gente?
Eu não sei não.
Usar a palavra é façanha de poeta, mas vai ver que serve só pra poeta que finge que sente, mas que na vida real não sente de verdade, o tal do sentimento que tá fazendo o coração bater diferente. Por que o meu tá batendo assim, meu Deus? Escuta: .. ..... .... . ....... .. . ......
Parece coisa desgovernada, que não têm constância, mas não é assim não, pra quem sente como eu tô sentindo, é como se por dentro da gente uma flor desabrochasse, ou como se eu fosse um pássaro que nunca tivesse aprendido a voar e que agora voasse, ou um mudo que agora cantasse; é como, meu Deus, se eu pudesse ver diferente tudo o que eu já vi na minha vida, é como se antes eu fosse cego e agora enxergasse.
É, meu Deus, quando eu penso nela eu me sinto até poeta, pois quando meu olhar entrou no dela o mundo se transformou em poesia. Não vi só a “pessoa”, vi luz que ilumina tudo por dentro da gente. Vi cor de tudo quanto é cor, vi flor de tudo quanto é flor, senti perfume de tudo quanto é cheiro bom.
Quando me dei por conta, meu Deus, estava alegre que só vendo, o amor entrou na alma e a alma entrou no mundo, e desde esse dia, por onde meu olhar olhasse, era tudo jardim”.



imagem: Paulo Amoreira

8 comentários:

Pessoa disse...

Seu Berlamino... seu jardim é a poesia, você é o jardineiro! cada flor dessa que nasce, merece o necessario zelo.

Em alguns casos, imagino que o sr deva ter lançado a semente... e cativado dia-a-dia até ela brotar, em beleza resplandescente.

Segredo mesmo, por poucos conhecido, é saber reconhecer quando a flor é de espécie rara. Ali, depois disso percebido, começa-se a regar e, encantado, ja não se para!

alguém viu meu regador por aí?

Florêncio E. disse...

Esse amor todo me inspirou um pouco Ana, e sábado como agente também falou de amor na reunião eu acabei fazendo uma poesia mais tarde.

Tenho visto o amor
Tenho visto os amores
Conheci uma menina que ama
E que amou
O amor que foi visto
Inundou
Criou raízes profundas que sentem sede
Tenho visto a dor por amor
Aquela que grita, chora e sangra.
Defender o amor a qualquer custo
Desesperadamente águo a raiz todos os dias
Para que floresça
E um dia eu possa mostrar o jardim
A quem tanto sonhou com a flor
A menina que ama, não ama só.
Sós estão os sem amor
Os humanos desumanos
Que vivem na dor da falta de amar
Juntos estão os amores, o jardim e a flor.
A menina que exala amor
A menina que inspira amar.


Bj Ana :)

Franzé Oliveira disse...

Lindo menina. Que belo texto. Sei q sempre falo q seus textos são belos. Mas os são. Faz agente flutuar. Adoro vir aqui. Adoro vc. Bjos com carinho.

Mônica. disse...

Seu Belarmino vê com os olhos do coração. Quero também um dia ver tudo jardim.
Beijo em tu! :)

Wellington Pereira disse...

Seu Berlamino, homem de alma única... me vez lembrar de Warat e das peculiaridades do amor. De como se entrega a alma sem culpa. Um cronópio de coração...

Alexandre Grecco disse...

Interessante, escrevi há pouco, no meu blog, sobre uma casa construída como Flor, no interior do estado do RJ.

A poesia é crua mesmo e vem de não sei onde, talvez nos ventos de duíno, como acreditava Rilke.

O fato é que poesia é inerente ao homem, basta ele saber o momento certo de coloca-la para fora.

Belo texto, boa história!

Anônimo disse...

"Para fazer uma obra de arte não basta ter talento, não basta ter força, é preciso também viver um grande amor."
Wolfgang Amadeus Mozart

Tainá Facó disse...

Seu Berlamino é um verdadeiro poeta, Ana. Tão lindo e forte. Tão lindo e simples. Escrever bonito é o de manos quando sai do coração. O importante é sentir as palavras. Tenho certeza que com um jardineiro desses, seu jardim transborda de verso, rima e cores.

Beijo bem grande!