segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Antes de mim


Eles cantam, os passarinhos. É divino o som que eu ouço nesse momento. As formas das plantas que vejo, a harmonia e cada detalhe esculpido antes de mim, a miscelânea de sentimentos. O que me deixa cega para tanta beleza? O que ficou gravado culturalmente em mim que me impõe as armadilhas do pensamento fragmentado? Não quero mais o “penso, logo existo”. Não é por isso que eu existo. Eu existo porque eu sinto. Eu sinto. É o sentimento que dá minha fortaleza, minhas cores, minha natureza, meu sol.


Escuto ”Tristão e Isolda”, de Wagner e contemplo. Apenas isso, contemplar e sentir. Para estabelecer conexão como o meu não-eu meu. Com aquilo que eu não-sou, mas que sou eu.


imagem: foto de Paulo Amoreira

10 comentários:

glória disse...

existimos porque sentimos e pensamos por todas as frestas da sensibilidade. pensar sem sentimento, como tantos e tantas, por meio de uma mecânica, de um modelo, de um método é se perder de si mesmo. isso que você diz. Amei. Como afirma Manoel de Barros: eu não sou da solucionática, eu sou da inventcionática. bjs

Ana Valeska disse...

Bj grande, Glorinha.

Franzé Oliveira disse...

Vejo e tb sinto. As flores são apenas flores, mas, no olhar do poeta as flores tem muitas cores, sentimentos e atitudes. Viva a contemplação.

Bjos.

Franzé Oliveira disse...

Sim, adorei seu comentário, viu? Boa semana para vc tb menina.

Fulvio Ribeiro disse...

Olá.... jamais me atreveria a discorrer
sobre a complexidade filosófica de René Descartes, e nem ao que lhe direcionou a menciona-lo em seus escritos,só posso lhe afirmar que simplesmente fascinou-me a maneira com que você compartilha em foma de palavras esses seus "Sentimentos".
Parabénsss...!!!
(não pude deixar de comentar).

Fulvio Ribeiro.

Eduardo Matzembacher Frizzo disse...

bom dia moça. hoje estou nos meus piores dias. mas seu texto me deu ares wagnerianos e por isso grandiosos. havemos de seguir nietzsche, afinal. caso contrário, ou morremos nazistas ou viramos atendentes de bunda achatada do INSS. por cá, acho que escrevi um dos textos mais tristes da minha vida. as coisas não andam fáceis, mas acho que supero. malas sempre doem, ainda que não mais existam esações de trem. um beijo e até mais.

genetticca disse...

Você está viva!!!!!
é iso..somente, näo vamos filosofar.
Você ten de tudo, porque vive,
a unica verdade da vida é "ser"
con tudos os sentidos e as facultades.
Si você escuta passarinhos e sabe admirar o seu redor tudo o que tem vida...você vive!!!

Iso é muito grande, é asim..você,
sem mais nada pra acrescentar.

Ainda que tente procurar coisas excepcionales..näo..é só vida..


Muito amor menina,você merece

Mônica. disse...

Bom é perceber o mundo de sentimentos que nos habitam.
Agora deu uma vontade imensa de sair do meio do asfalto, das buzinas, do concreto e sentir o cheirinho do verde. Lavar a alma com um banho de cachoeira!
bjo em tu, Branca de Neve! =)

Daniel Simões disse...

Lindo!
Lembrou-me momentos suaves ribeirinhos lá nas terras de onde vim.

Daniel Simões

Laís Teixeira disse...

Amada!

QUE LINDO! Já te falei que quando leio teus escritos eu me sinto e te sinto! Vivo como se tivesse dentro dessa magnífica junção de palavras!

Ahh..essa vai fazer parte da minha "biblioteca mental"

Xêro