quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Joana e a estrela


Sim, sempre serei verdadeira comigo mesma.

Todos os dias a menina corria para o quintal de casa e nele criava mundos. Conversava com as plantas, que floresciam mais belas quanto mais ela habitava aquele espaço de sonho real. Era um momento só dela que aprendeu a valorizar convivendo com a avó. Joana foi criada pela avó. A avó da menina tinha muitas histórias para contar. Era uma mulher muito simples, mas tinha muita sabedoria. A avó de Joana não era dessas senhoras católicas que estão todos os domingos na missa, nem costumava fazer discursos moralistas e religiosos. Mas gostava muito de contar histórias que a vida tinha ensinado. Contava histórias enquanto fazia crochê, contava histórias quando cozinhava, contava histórias penteando os cabelos da neta. Sua avó contava histórias o tempo todo. Nas noites estreladas as duas costumavam deitar e observar as estrelas. A avó de Joana dizia que toda estrela tem uma mensagem. – As estrelas sabem dos nossos segredos, filha. Ajudam a percorrer os caminhos da vida, nos dão a direção correta. O que aquela estrela te diz? Joana não sabia interpretar a linguagem das estrelas e pedia ajuda a sua maior intérprete das coisas do mundo. – Vovó, me diz, o que aquela estrela acolá fala pra mim? Qual, filha? Ah, aquela estrela é especial! Ela diz que, não importa o que acontecer, mesmo que todos digam o contrário do que você sente, você sempre deve ser verdadeira com você mesma. Entende, Joana? Escute a voz do seu coração, ele sempre saberá o caminho correto. Seu coração é a sua estrela e ele brilha, filha, ele brilha, e te indicará sempre o caminho correto. Joana, pequena ainda, repetia o que mais tarde faria um sentido imenso em sua vida: “sim, vovó, sempre ouvirei meu coração, sempre serei verdadeira comigo mesma”.

Uma lágrima percorreu sua face enquanto a saudade da avó pulsava no peito de Joana. Nessa época de natal ela costuma fugir das correrias e das compras. Esse ritmo frenético incomoda, pois parece o oposto do sentido do natal. É o que o coração de Joana diz. Para o coração de Joana, os shoppings afugentam o sentido, o brilho verdadeiro não está na iluminação de fora, mas na iluminação de dentro. Afinal, o natal simboliza o nascimento de Jesus e quem foi mais simples do que ele? Quem foi mais honesto em suas convicções? Nossa, não precisamos de tantas maquiagens, de tantas vaidades, de tanto poder, de tantas estéticas. Por que a verdade é simples, a linguagem da estrela é simples: nosso coração brilha quando tem amor. È o nosso maior presente de natal! O amor que damos ao mundo e o mundo precisa muito desse presente iluminado, quer seja na Guiné, na República Democrática do Congo, no Iraque, na França, nos EUA, no Brasil, aqui, agora, eu, você, precisamos de amor e também podemos dar muito amor ao mundo, ao outro e a nós mesmos. O amor é a nossa maior missão, nosso maior encontro, nosso coração, nossa estrela que agora brilha, imensa, imensa, dentro de mim.
Feliz natal!
Imagem: obra de Henri Matisse

7 comentários:

Anderson C. Costa disse...

Hoje, o consumismo impera, e os sentidos estão sendo perdidos...
É triste constatar que a fantasia consumista está dominando os sonhos das pessoas... levando-as a imaginarem que só existe alegria e fraternidade dentro da louca lógica do consumo.

Feliz natal

joão disse...

Estrela-Joana, sabe o gosto das coisas secretas? Pois é. Você tem esse gosto. Gosto de coisa que a gente nem sabe que cresce dentro, daí um dia: Ploft! Estouram buquês pra todo lado.

Eu também ouço falar as estrelas. Sei desse amor de imensidão. Não tive uma avó assim mas tive sim muitas pessoas especiais me ajudando a entender o idioma das coisas lindas. Talvez por isso, Joana Estrelinha, eu ouça tua voz bonita falar dessa natividade amorosa quando fecho os olhos e entendo o que há para entender.

Meu presente nesse natal foi conhecer você. Não esquece que vale a pena, ok?

Mônica. disse...

Essa avó mostrou ser uma pessoa muita sábia.
Que hoje e em todos os outros dias a gente possa ver, sentir e transmitir amor.
Um beijo, Ana bonita! =)

Anônimo disse...

Nosso coração - que devemos sempre auscultar e escutar - brilha quando tem amor. Esse é o maior ensinamento dessas duas mulheres maravilhosas: Joanna e sua avó (estrela que continua a iluminar o caminho de Joanna).
Feliz Natal.
Com amor. Imenso amor.

Aline Lima disse...

Lágrima nos olhos aqui ó?
=´)

Ana Cristina disse...

Amiga linda!
tu me emociona muito!
Muito feliz por estar tão próxima de ti!

Um beijo nesse coração brilhante!

Até já já!

Fernando Bacelar disse...

Nossa, Val. Que saudade da avó da Joana... e que linda estória. Linda.
Como não pensar na Beatriz agora? Como não sentir saudade doída dela?
Quero ver as estrelas com a minha filha....
Beijo.