segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Um jardim todo para você


“A terra é um elemento muito apropriado para ocultar e manifestar as coisas que lhe são confiadas”.
Le cosmopolite.


A água começou a ferver. Tirei a chaleira do fogo. Dava pra ver a fumaça escapando da xícara de chá. Subiu o cheiro fresco das folhas de hortelã aquecidas. Huuum, a delícia dos pequenos prazeres da vida. Passeio em meu território e vejo como meu jardim está mais bonito nesse final de ano. Flores vibrantes, passarinhos chegando mais e mais. Todo final de tarde tem reunião de passarinho aqui em casa. É lindo de ouvir. Eles ficam escondidos nas árvores, conversando, conversando. Pego meu chá, e fico contemplando o presente que recebo.
Enquanto observo os movimentos dos pássaros, cada gole de chá parece lavar a alma. – Estamos num tempo de renovação, pensei. Domingo vi tanta beleza, participei de uma festa grande, para a comunidade da Jandaiguaba, em Caucaia. Amei ver as crianças brincando, pessoas celebrando, apesar das dores, apesar dos machucados da vida. Fiquei pensando nos meus machucados. 2008 foi inesquecível. Sorrio ao lembrar que foi o ano dos machucados. Sorrio porque 2008 passou. Apesar de tudo, o saldo foi bom. A gente se fortalece com o sofrimento e só entende o que é isso quando passa. Passou. Amadureci, aprendi a ter mais cuidado atravessando as estradas que me feriram, conhecendo vampiros que quiseram roubar minha essência, minha beleza, meu olhar de criança. Conheci um tipo de sofrimento que eu nem pensava possível. Eu caí. As paredes da casa acolheram meus gritos, tudo pareceu ficar deserto, vazio. Passou. Ficou vazio para que eu fizesse um novo jardim pra mim. (Ou para nós). Eu era inocente, ainda não tinha sentido o aço frio da crueldade humana. Agora eu sei. Enfrentei tudo com coragem. Não corri, não me abandonei, não deixei de acreditar. Percebi que é fácil ser amarga e pessimista. Muito fácil. Pessoas se acomodam nesse vício e começam a sugar os outros. Aprendi a fechar as portas para quem quer me roubar de mim.
O bom não é fácil. Tem que ser conquistado e mantido. Mas eu quero o que é bom. Quero a arte. A beleza. A amizade. O amor. Quero ver a beleza do mundo. E cuidar muito bem do que eu tenho, como um jardineiro cuida do jardim. Quero um jardim lindo pra mim. Quero um jardim lindo todo para você. Quero compartilhar jardins. Quero ver as pessoas felizes.
Não foi por coincidência que assisti há pouco o filme “Conversas com Meu Jardineiro” (Dialogue avec Mon Jardinier), com Daniel Auteuil e Jean-Pierre Darroussin, dois atores que amo. O filme traz a força da amizade, da beleza de dois mundos que se encontram. Um artista e um jardineiro. Os dois tinham arte e jardim na alma. Por isso se entenderam. É um bom filme para ver nessa época de natal.

“de vez em quando, eu me viro e olho para o céu. Não é para lá que eu vou. Não. Eu me perderia. Eu me vejo lá embaixo. No meio das raízes, onde tenho minhas marcas. Jardinar é minha vida”. (fala de Jean-Pierre Darroussin, o jardineiro no filme).
E fico curtindo esse finalzinho de ano, esperando os presentes que 2009 trará pra mim.
E enquanto espero, vou cuidando muito bem do meu jardim, para que você goste, meu amor, das flores que eu plantei pra ti e ache tudo bem bonito, quando enfim você chegar.
imagem: cena do filme "conversas com meu jardineiro".

9 comentários:

glória disse...

OH Valeska! uma das coisas férteis que esses últimos meses me trouxeram foi entender que ainda existem pessoas que fazem vicejar suas almas, adubam os encantos mais autënticos e fazem bordaduras de palavras que entoam feito mantra. Foi muito bom te ler de perto, acredite, isso me dá muito mais änimo para o 2009 que me agurda. Grata a você. muita grata! um natal cheio de luz e um 2009 apinhado de pequenas e grandes alegrias. bj

Rocha, André disse...

Convido a visitar:

www.kronospoesis.blogspot.com ;
www.pos-contemporaneidade.blogspot

Visite o nosso projecto e se quiser envie-nos os seus textos que trataremos de publicar os mesmos no blog Kronospoesis. Envie os seus textos para (arocha89@hotmail.com) alguma dúvida os sugestão contactar pelo mesmo mail.

Cumprimentos.

Aline Lima disse...

Meu amor!!!

Saiba que vc é uma flor, das mais bonitas, do meu jardim!!!
Saiba também que jamais ninguém vai conseguir roubar tua beleza, nem teu olhar de criança! Jamais. Isso é teu.

O jardim externo é reflexo, puro e único, desse teu coração que é feito para e merece muito todas as felicidades do universo.

Me convido a dividir com vc a contemplação do seu jardim; a escutar a reunião dos srs. passarinhos; a nos emocionarmos com os filmes... enfim, me convido a ser mais próxima de vc que é tão linda [por dentro principalmente].

Seus olhos, de criança, não mentem: vc é GENTE DA MELHOR QUALIDADE.

E, eu te gosto um tantão assim!!!
=D

Anônimo disse...

Me socorro de Drummond para comentar tão belo texto (de uma jardineira tão sensível, que sabe ler a alma pelos olhos, pela fala, pela escrita e pelas flores):
"O ser busca o outro ser, e ao conhecê-lo/acha a razão de ser, já dividido/São dois em um: amor, sublime selo/que à vida imprime cor, graça e sentido" ("Amor")

Mônica. disse...

Que lindo! Tão bom os sons dos passarinhos passeando nesse jardim! Dá pra sentir que tua alma anda mais leve. Tenho certeza que em 2009 tu vens colher lindas flores.
Falamos (eu e Aline) sobre você hj. Vamos marcar um chá? Bjo! =)

david disse...

Solo Azucenas y Girasoles
Ernesto

Tainá :) disse...

Que bonito! A natureza é incrível, não é? Se os humanos dessem mais valor ao que tão bom é para a gente..
Desejo-lhe, linda flor, tudo de bom! Ah, e quero, um dia, poder fazer parte do seu jardim. Poder ver e ouvir, tomando chá, junto à você os passarinhos.

Você é linda demais! (Sabia?)
Linda, linda, linda!

Adoro todos os seus textos!


Feliz Natal! Tudo de bom! E espero que encontre seu tão esperado..

Beijo ;*

eDu Almeida disse...

Oi Valeska, estou eu aqui outra vez 1º para comentar tão belo texto profundo e com simplicidade. Vc sempre me surpreendendo e 2º pra lhe falar que dei uma repaginada no meu blog, queria que vc desse uma passada por lá. Você vai perceber que ele (blog) está cheio de referências suas, acho q o modo de escrever e pensar subjetivamente seja a maior delas, mas não são tão boas qunato os seus eheh. Ah falei também com sua amiga Tainá, que "conheci" através do seu blog, muito legal ela e os textos nem se fala.
Bjos e Um Feliz Natal (com seu sentido real e não distorcido) e uma virada de ano maravilhosa pra vc.

Fernando Bacelar disse...

Lindo texto, tia Val. Lindo.
Que as "marcas" de 2008 sirvam apenas para nos fazer lembrar que tudo passa, que somos fortes, e que não podem nos tirar nossa essência.

Beijo muito, muito grande.

PS.: Vc tem o olhar de criança mais belo que conheço! rs