sábado, 10 de julho de 2010

Cultura da gentileza

Durante a reunião no fórum "Por amor a vida" participei de um grupo que teve o propósito de refletir e elaborar estratégias de trabalho por uma "cultura da gentileza". O primeiro passo foi o diagnóstico dos principais problemas e a queixa recorrente no grupo que participei foi a má educação no trânsito dos cearenses. As pessoas falavam dos ilícitos cometidos, do desrespeito aos pedestres, enfim, das inúmeras grosserias dos motoristas e eu lembrava de um desenho animado da minha infância, nitidamente inspirado no Dr. Jekill e Mr. Hyde. Nele, Pateta tem dupla personalidade e demonstra uma fúria incontrolável ao assumir o volante. Temos como prática condenar os outros, mas a grande revolução acontece quando lançamos um olhar crítico direcionado a nós mesmos. Nesse sentido, quem dirige pode dar o exemplo, sendo gentil no trânsito e fora dele. Afinal, "gentileza gera gentileza", repetindo as palavras do profeta. Para finalizar, não custa lembrar as palavras de outro ser humano imenso: a mudança que você quer ver no mundo começa sempre em você.


5 comentários:

Franzé Oliveira disse...

Eu lembro do Profeta gentiliza. Visitou as nosas cidades nos anos 80, lembra?

Sim, por falar em gentileza...

Estou iniciando um conjunto de postagens denominada:

Série Fragmentos "Grande Poeta".

Postarei cinco trechos de cada poeta ou poetisa que gosto. Espero que goste. Sim, estou sentindo falta de sua visita.

Beijos.

Roberto Pinto disse...

Ana

Que coisa, este personagem é algo que também vem fazer parte de meus dias, pois trabalho com um motorista que acha ser um perfeito condutor de veículos, mas sempre que saímos pra rua com ele nos sentimos ao lado de uma pessoa com uma perigosa arma nas mãos, ou seja, ele não tirou CNH, mas sim PDA, O que isso quer dizer, porte de arma, é claro, pois é um exemplo de desrespeito aos pedestres e todos aqueles que transitam pelas ruas,cuidado hein Ana!Para não se deparar com ele.

Ana Valeska Maia disse...

Olá Franzé, estava sentindo tua falta.
Vou te visitar!

Ana Valeska Maia disse...

Roberto,
Nem pensar em encontrar o tal motorista!
Bjs!

Crônicas do Cotidiano disse...

Cultura da gentileza! É uma pena que essa cultura não é MODA! Afinal em um mundo individualista... O carro do outro é apenas um empecilho na estrada!
mas há sempre esperança... Quem sabe nasce uma flor de gentileza em todos nós!

Bjaumm