quarta-feira, 9 de junho de 2010

O que não acaba


Meu filho-amigo querido,

Hoje o dia está tão bonito, de azul intenso, um céu límpido. Parece que apenas meu coração chove. Nestes dias de dor sou obrigada a ter que me conformar em te dizer adeus e o coração caçador lembra de nossos momentos juntos a todo instante. Te conheci ainda bebê, você foi o filhote mais lindo que eu já encontrei na vida, e tudo isso é tão fresco na memória que parece que foi ontem.

Ainda pelejo para entender esse período de vida tão curto que passamos juntos, afinal, dez anos voam rápido demais. Te vi crescer, formar família, procriar e envelhecer em um estalar de dedos muito bem vividos.

Você sempre foi cativante. Todas as pessoas que te conheceram te amaram, é incrível isso, pois as pessoas costumam temer um cachorrão como você, afinal pastor alemão é raça que mete medo. Mas você não. Até em orfanato você ia comigo, as crianças te adoravam.

Meus amigos perguntam sempre por ti, dizem que você é “quase-gente”.

Hoje, neste dia lindo e iluminado, você está velho e doente. Sente muita dor, eu sei. Agora só me olha com os olhos de “dor milenar” como a cadela Diana do Toninho Horta. Vou procurando aliviar a barra pra você no que posso. Penso como será, sem você aqui. Ter que lidar com a presença da ausência mais uma vez.

Mesmo com o clima de despedida intenso, é muito viva em mim a certeza de que nosso laço nunca será rompido.

Meu amigo Iup: amor, quando é amor, não acaba nunca.

6 comentários:

Franzé Oliveira disse...

Sinto por "Iup" menina.
O que eu puder fazer para te ajudar, conte comigo.

Sempre aqui.
Beijos.

Aline Lima disse...

chorei. :´( mas é bom e mportante termos amigos. iup é lindo e é muito amado. ama muito também. isso é o que vale.
beijos.
aline.

Anônimo disse...

Não tive a oportunidade de conhecê-lo, infelizmente, mas sei que ele, apesar da imensa dor física, da dor de deixar a vida e principalmente da dor de deixá-la, é grato por ter tido você como mãe adotiva, companheira e amiga por toda a sua vida, afinal "amor, quando é amor, não acaba nunca..."

P.S.: Adorei a foto de vocês... Estão naturais, espontâneos, lindos demais... Boa sorte Iup.

Ana Valeska Maia disse...

Grata meus amigos pelo carinho.

Eduardo Porto disse...

Sinto muito também, cara Ana. Impulsionada pelo seu texto resolvi escrever sobre um filme que vi final de semana passado, mas só leia depois de assisti-lo, e assista-o com duas caixas de lenço de papel.

Beijos.

Vera Lucia disse...

Minha querida, que sensibilidade. Tambem tenho animais,e sei da sua dor.Alguns dos meus tambem já partiram deixando saudades.São nossos melhores amigos e companheiros.Mas serão sempre lembrados, enquanto aqui estivermos.Que Deus abençoe e ilumine o seu caminho.Beijos de Luz.