sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

O real é bem melhor


Perguntaram-me o que eu achava dos museus virtuais, que estão super na moda. Lembrei logo do mar. Aliás imaginei como sentiria uma pessoa que nunca viu o mar. O desejo de conhecer o mar é freqüente na vida dessa pessoa. Entretanto, as circunstâncias da vida impediam o deslocamento para uma localidade litorânea. O mar era conhecido apenas pelo recurso das imagens: fotografias, ilustrações em livros, TV, cinema, internet. A pessoa imaginava como seria colocar os pés na areia, percebendo a textura dos grãos de areia em contato com a pele, sentindo a brisa acariciando a face e bagunçando os cabelos, ouvindo o som do vai e vem das ondas, sentindo o calor do sol, para, enfim, mergulhar nas águas do mar.

Ver uma obra de arte pelas imagens do computador é parecido com ver o mar pela tela da TV.

Falei sobre o contato imaginário com o mar pois sinto assim quando visito um museu virtual. Eles são opções de acesso para quem não pode ter a oportunidade de conhecer as obras diretamente, para quem simbolicamente não pode estar em contato real com o mar. Entretanto não chegam nem perto. Além do visual existe a atsmosfera que envolve a obra, os cheiros e cores, sem falar que no real sempre pulsa a possibilidade do inesperado, de um encontro que nos arrebata. Por mais que a tecnologia avance é fundamental viver o real, pois é no real de todo o dia que percebemos o sentido, o propósito maior de estarmos aqui, vivendo juntos. Roberto DaMatta, refletindo sobre a importância dos estudos antropológicos, certa vez afirmou: “o homem é sempre mais do que a tecnologia que inventou”.

Imagem: obra de Vicent Van Gogh

5 comentários:

Fulvio Ribeiro disse...

Concordo totalmente "O real é bem melhor"...
Gosto muito Daqui já estava com saudades de te visitar...!!
Grande abraço.

Eduardo Porto disse...

É uma bela comparação. Ah! A tela de Van Gogh da postagem é 'A Noite Estrelada' de 1889, penúltima fase dele.

Tatiane Lemos disse...

Nossa amiga seu blog está muito legal, não consigo mais parar de ler!
E é pura verdade o que esse texto nos relata, o real nos mostra como é bom viver e sentir diversas coisas!

Beijão!

Ana Valeska Maia disse...

Olá Fulvio, Eduardo e Tati,
Bjs e grata pela visita,
Com carinho,
Ana.

Valdecy Alves disse...

Ana, gostei do comentário. Concordo. Afinal estar no lugar real obriga a utilizar os 05 sentidos. Parabéns pelo blog e aproveito para divulgar o meu blog, através do qual, podem-se ler matérias jurídicas, minhas poesias, comentários, acesso a vídeos que dirigi, outros... Bastando clicar em: www.valdecyalves.blogspot.com