segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Pós Natal


Dias sufocantes de calor em minha cidade natal e as pessoas estão para derreter. Há pouco Fortaleza ferveu à cata de sentido para festejar o dia do aniversariante e quem cantou parabéns para ele? A festa foi para o bezerro de ouro do mercado. Vi desfilar pela paisagem urbana sacolas de compras em mãos de transeuntes famintos, buscando coisas que as coisas não dão. Gente querendo colher em terreno infértil em uma época que deveríamos desaprender a querer tantas coisas e aprender mais sobre nós, mesmo que sejam os nós que nos prendem para enfim desatá-los. Por uma lógica insensata as pessoas escolhem as coisas e sonham com os laços com as pessoas e vivemos em constante paradoxo nesse rio que flui aparentemente lento em melhorias. O rio da vida continua a jornada fluindo intenso, recebendo derretimentos e fracassos, tal como a COP 15 de Copenhague e arrisca o destino da humanidade ralo adentro. Momento em que meu coração aperta e deságuo minhas angústias no porto da esperança: sempre existe uma chama acesa enquanto houver coração. As luminescências chegam pelo laço da palavra do contador de histórias que faz o imaginário ganhar estatuto de realidade. Gosto de penetrar no mundo das palavras e sonhar os sonhos impossíveis que crêem no humano irmanado com a Terra e no advento da consciência planetária. Vibrando florida com a percepção de que todos nós na jornada da vida somos integrantes de um mesmo lar e que nosso coração é único, iluminado, feito para pulsar e amar.


Imagem: escultura de Nele Azevedo

7 comentários:

Daniel Simões disse...

Copenhagen só foi um fracasso do ponto na ação de "areia-nos-olhos" lançada pelos media, uma vez que ali foi, reptileanamente, formado o governo mundial - tal como o presidente das Nações Unidas afirmou em entrevista ao Times no final do encontro:

"We will establish a global governance structure to monitor and manage the implementation of this [as novas políticas sobre alterações climatéricas]. Experts from both worlds should participate."


http://www.latimes.com/news/nation-and-world/la-fg-climate-ban16-2009dec16,0,1781040.story

Daniel Simões disse...

Dê uma olhada neste vídeo: a veracidade de tudo o que aqui é falado pode ser confirmada com relativa facilidade.

http://www.youtube.com/watch?v=VB-QfMOZHQc

Franzé Oliveira disse...

A vida segue...
Se mudou algo não sei
A vida passa...
Com ou sem nós

Bjos menina linda

Ana Valeska Maia disse...

grata pela visita Daniel e Franzé.
Vamos ver Daniel, vamos ver.

Anônimo disse...

(Jo)ana querida,
Em Copenhague, bonito de ver foi a irrupção da sociedade civil, que foi às ruas, denunciou a civilização do capital, responsável pela destruição ambiental e pela produção e consumos perdulários e chamou a atenção de tod@s para a necessidade de agirmos rápido para salvarmos a vida no planeta. Leonardo Boff nos chama a reflexão quando fala nas quatro ecologias, começando pela ecologia pessoal. Fico feliz quando vejo seu blog tratando disso, florzinha linda de nossa caatinga.
Beijão esperançoso,
Jô.

Ana Cristina disse...

amiga linda,
passando esses dias dentro de uma natureza absoluta, percebi coisas que já sentia, mas me escondia atrás delas. Podemos viver com tão pouco, podemos ser felizes com as coisas verdadeiras, diferentes das coisas compradas.

Minha amiga-irmã querida, que esse ano fiquemos cada vez mais próximas, e cada vez mais possamos sentir o que somos e como estamos.

abraço daqueles bem fortes!

Ana Valeska Maia disse...

Jô e Ana,
Abraço no coração de vocês.