sexta-feira, 10 de julho de 2009

As asas que o sonho me deu


Meu sonho se enlaçou com o teu e retiramos as vestes dos pesares. Somos corpos sedentos e estamos despudoradamente presos, enlaçados e vivos ritmando em um só verso. No meu trapézio, bailo alto com a leveza dos pássaros e vejo os medos perderem a liga, descolarem e caírem suavemente como plumas nos abismos. Um anjo me cedeu suas asas. Consegui permissão para voar e decidi entrar no sonho do mundo. Transcender a linguagem. Captar a essência dos sentimentos. Vi universo ritmando, pulsando, amalgamando histórias. Tudo é encontro, mas algo sussurra: é delicado manter o equilíbrio. Ser leve, continuar harmonicamente a dança em um desenrolar de melodias únicas e imprevisíveis.
imagem: filme - asas do desejo

3 comentários:

Franzé Oliveira disse...

Belo texto. O meu sonho, que pena, é só meu. Ainda não cai na realidade de viver sem esse sonho. Quando li seu texto me lembrou coisas que vivi. De quando eu e ela sonhava na mesma direção.

Bjos.

Ana Cristina disse...

Pássaro sem asas continua sendo pássaro, seus sonhos são de pássaros, suas aspirações são de longos vôos e pousos pausados, alimento de seu corpo e sua alma. A luz é um de seus sonhos, enquanto os arbustos são desejos de ninho assim como o som das fontes é sinal de sede saciada. "Livres, aéreos, eternamente pássaros", não há impedimentos, nem mesmo ausentes asas lhes farão deixar de sonhar.

Você é um desses pássaros, jamais deixará de voar nem que seja na imaginação... Seus sonhos são reais, amiga, acredite nisso, aos poucos tudo vai acontecendo, do jeito dos seus sonhos.

obrigada por voarmos juntas, de vez em quando.

Carinho,
Aninha

Anônimo disse...

Não deixe escapar de suas mãos o que já esteve tão próximo (tão enlaçados que ritmavam em um só verso). Vocês já perderam muito tempo, e tudo por causa desse medo que aterroriza, nos deixando passíveis demais diante das oportunidades que a vida nos oferece, se desprende mesmo desse terrorismo que nos impede de ver o que parece óbvio. Deixar que as cicatrizes de ontem, interfiram na plantação de hoje e nos frutos de amanha, é perder; sentidos, momentos, pessoas... é se entregar eternamente: "ao que poderia ter sido".
Por isso aproveita as asas, que este anjo generoso te concede e voa alto, em busca do que tanto te espera, e saibas que é preciso: atrevimento para voar sem ensaios, coragem para não olhar para trás (e querer voltar, pq é mais cômodo), amor para alimentar teus sonhos e quando te chamarem de louca, seja ousada e avise: "Tolice é viver a vida
assim, sem aventura... Deixa ser pelo coração se é loucura então
melhor não ter razão...".
Os passos podem estar distantes pq o outro, deve estar sentindo que se rendeu sozinho, o que exige um esforço "sobre-humano" para a luta, porque demora demais... e esperar corrói por dentro, mas isso não significa que o sorriso tenha se fechado para o sonho,isso é só cansaço ("talvez teus sinais, o confundem da cabeça aos pés"), mas não a ponto de desistir da dança.
Voa... voa livre em direção ao que te chama e vai cantando como um pássaro, as canções vão dando cor a vida e ajudam a captar os sentimentos.
No mais, te desejo sorte e que escute o que o anjo te diz, no momento em que ele te entrega as asas;"Não há pedra em teu caminho, não há ondas no teu mar, não há vento ou tempestade que te impeçam de voar".
Beijos!!!