terça-feira, 17 de abril de 2012

Começar de novo


Ainda no casulo, cultivando sonhos.
Sinto que cada vez que conseguimos afastar as sombras de nossos medos algo renasce em nós.
Hoje: tempo inaugural
ressurgir possibilidades
começar de novo. 
Entregar-se à vida. 

5 comentários:

Sérgio Costa disse...

Sempre é o tempo de agora. De agradecer ao ontem e lançar os dados à sorte do caminho, sair do casulo, recolorir-se.

Pra mim, você já tem uma aquarela perfeita que é o teu sorriso, a tua alma, o teu devir de arte em movimento que conduz sentimentos tão bons a quem está ao teu redor.

Apenas pinte novos quadros para a obra da vida e nos presenteie com tuas palavras, Ana! =)

Larissa Paes disse...

Desde quando descobri seu blog, até agora não tinha comentado, apesar de, por vezes, ter vontade.
Enfim, acho sua escrita tão bela... Seus contos, crônicas, poesias... Encantam-me. Gosto de apreciar cada palavra, ler vagarosamente... E chegar ao fim, por vezes, fascinada, melancólica... Independente do texto,saio afetada pela sua escrita.
E eu ainda não tinha comentado por causa de algum receio, não sei, não sei o motivo pelo qual tinha medo de comentar textos escritos pela minha professora.
E se agora comento é por causa que consegui, ainda não sei como, afastar, de alguma maneira, esses receios desconhecidos. Talvez minha timidez tivesse obscurecido meu desejo de expressar algum coisa aqui.
Na verdade, não sei que ímpeto de escrever aqui foi esse.
Pois bem, é basicamente isso.

Ana Valeska Maia disse...

Palavras coloridas Sérgio, como sempre!

Larissa, que bom receber teu comentário, seja bem vinda.

Sérgio Costa disse...

A gente deve apreciar as palavras da Ana como quem desvenda um bom vinho: a cada gole, cada aspiração, um sabor novo, um frescor renovado, uma percepção crítica mas sem faltar o carinho, o aconchego, a beleza e a paz.

Me afetam muito esses textos pois além de me remeterem à querida imagem desta pessoa tão bela e a quem quero tanto bem, me inquietam ao pensamento delicado sobre o mundo, sobre as coisas-primeiras que movem cada um de nós. Larissa, volte sempre pois este blog vai te inundar de belas coisas!

M. S... disse...

-suspiro

que bonito. Vou guardar pra mim essas palavras, para quando eu estiver com medo de sair do casulo.
Obrigada por compartilhar.

abs