quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Uma situação complexa

Sempre surge um incômodo quando vejo situações de conflito expostas pela mídia como grandes espetáculos. Na cobertura do conflito, como o que está acontecendo em algumas favelas do Rio de Janeiro, surgem os estereótipos dos mocinhos e dos bandidos. Mas nós sabemos que não é exatamente assim.

“Clima de confiança pela cidade”, é o que estampam alguns jornais. Entretanto é preciso evidenciar que no processo do que se chama de combate ao narcotráfico e ao inimigo deve-se compreender a teia complexa que conecta e cria o real. Existem fatores que não são coerentemente colocados no espetáculo da TV. Lembro agora uma das lições de Pedro Demo: uma parte da elite econômica e política participa da economia do crime. Ou como foi evidenciado na “ficção” Tropa de Elite 2: “O inimigo é outro”.

Portanto é fundamental entender o problema em sua complexidade: de que deve ser destruída a teia da corrupção. Senão as retóricas da indignação ou do queremos paz serão palavras mescladas às nuvens de fumaça e outros conflitos renascerão das cinzas do que agora é queimado.

Indico a leitura dos blogs de Salo de Carvalho http://antiblogdecriminologia.blogspot.com/ e de Luiz Eduardo Soares http://luizeduardosoares.blogspot.com/. Inclusive acesse a entrevista que Luiz Eduardo Soares concedeu ao programa Roda Viva segunda passada.

3 comentários:

Elaine Sá disse...

É por ai mesmo Ana.Fico incomodada com essa imagem passada pela mídia: os mocinhos vencendo os bandidos.A população comovida como se tivesse chegado ao fim uma guerra...Ai,ai.Mas por quanto tempo?Todos sabemos que vivemos em uma sociedade cercada por relações de interesse,quais são os interesses por trás de tudo isso?Penso que mais importante do que discursos de motivação,agradecimentos aos mocinhos, é necessário o aprimoramento de um senso crítico,buscar a percepção de tudo o que nos rodea,vislumbrar o que realmente acontece por trás das cortinas e não nos contentarmos apenas com o espetáculo representado no palco.

Daniel Simões disse...

As investigações interrompem-se sempre a meio do caminho da ascensão hierárquica: ações como esta acontecem quando se atingem pontos de saturação incontornáveis. Li que foram presos quarenta e tal pessoas... mas se eram centenas, onde estão os restantes? É óbvio: dando continuidade ao projeto bilionário que envolve desde altos poderes brasileiros, até agências de informação internacionais (como é o caso da CIA).

Carlos Eduardo Leal disse...

Olá Ana,
Gostei muito do seu blog. Sou psicanalista e escritor. E dou aula na faculdade sobre psicanálise e arte. Gostaria de saber como posso fazer para comprar o documentário feito por você.
Obrigado, um abraço,
Carlos Eduardo
Ps: Caso seja possível, você pode entrar em contato comigo através do meu blog:
veredaspulsionais.blogspot.com
ou,
celeal01@gmail.com