segunda-feira, 29 de junho de 2009

Naquela estação

E o meu coração embora
Finja fazer mil viagens
Fica batendo parado
Naquela estação...
(Naquela Estação, Composição: João Donato / Caetano Veloso / Ronaldo Bastos)



Nenhum movimento na velha estação. Naquele “entre” da existência, as cores desmaiadas das descascadas paredes antigas anunciavam que apenas o silêncio tinha autorização para transitar e somente o céu do fim de tarde poderia colorir de alguma forma, a vida.
Começou a esfriar, embora nada ventasse.
Apenas seus pensamentos falavam alguma brisa.
Entretanto, a temperatura caiu de repente, despencando em alvoroço pelo termômetro, frenética, como se desmoronassem os graus de uma vez só e o ambiente encontrasse uma forma eficaz para expulsar o visitante indesejado do domínio de sua jurisdição. Continuava imóvel, respirando discreta e pausadamente. Era toda abandono e dúvida. O piscar dos olhos castanhos entristecidos pelo acúmulo de cinzas, era emoldurado por grandes cílios negros. Sentada no banco de ferro verde cromo, apenas contemplava a rigidez dos trilhos do trem. “todo movimento precisa de algum tipo de solidez para continuar”, pensou. Percebeu a mudança do tempo e tremeu. Muito mais de temor do que de frio. Quando finalmente teve coragem de retirar o olhar dos trilhos dourados viu a aterrorizante cena: seus sonhos estavam desabados no chão da estação.

“Posso deixar vocês aqui”, pensou. Basta que eu levante e vá embora sem olhar para trás.

3 comentários:

glória disse...

eu vejo fogueira branda no "olhar entristecido de cinzas", vejo centelhas de vida plantada em paragens fora da estação. O olhar ainda não alcança lugares em que o acesso está fora dos trilhos, fora dos circuitos de passagem. Os olhos estão voltados para os "sonhos desabados na estaçào", há migalhas de pão indicando uma trilha outra, sinuosa e virgem. não há nada a temer, nada, apenas que os olhos que moram na pele estejam abertos para a beleza da paisagem, em outra estação. bjs bem-te-vi das manhãs.

Aline Lima disse...

tão lindo... =)

Franzé Oliveira disse...

'Uma jovem guerreira gritando,sem tempo para dúvidas
com a dor e fúria não consegue ver saída;
não é muito o que ela pede, eu a ouço dizer:
tenho que achar um futuro, saia da frente
ela que tudo e agora.